O que vai mudar com a mudança do Google AdWords para Google Ads?

Se você compra ou vende mídia na internet, provavelmente já sabe que o Google Adwords passou a se chamar Google Ads e que a empresa fez uma série de mudanças em suas plataformas, certo? 

A coorporação anunciou todas as novidades em junho de 2018 através de um comunicado assinado pelo próprio Sridhar Ramaswamy  — Vice Presidente (VP) de Ads & Commerce.

Todas as alterações feitas têm como objetivo proporcionar aos usuários uma experiência de navegação mais simples, prática e objetiva. Além disso, novas funcionalidades foram criadas e outras funções deixam de existir.

Quer conhecer como funciona o novo serviço do Google e as demais alterações feitas pela empresa? Confira abaixo!

Google Adwords agora é Google Ads

A primeira novidade é a mudança do nome do Google Adwords para Google Ads. Essa alteração foi feita para que a plataforma reflita melhor todos os recursos de publicidade oferecidos por ela, que vai além da venda de anúncios por busca de palavras-chave. 

Atualmente, entre o site do Google, parceiros e aplicativos da empresa, é possível se conectar com bilhões de pessoas por meio de respostas de pesquisas online, ao explorar novos locais no Google Maps, ao assistir vídeos no YouTube, ao descobrir aplicativos no Google Play e ao navegar na Web.

Além do nome, a plataforma traz outra novidade: as campanhas Smart. Essa funcionalidade é voltada para os pequenos negócios com objetivo de reduzir o tempo gasto nas campanhas e para otimizar seus recursos.

Para isso, o Google usará a tecnologia de Machine Learning com o intuito de complementar as ações priorizadas pelos usuários e oferecer melhores experiências.

Google Marketing Platform para anunciantes

Outra novidade é a unificação do DoubleClick e o Google Analytic 360 Suite, o que criou uma única marca: o Google Marketing Platform — ou Plataforma de Marketing Google, em português. Essa solução visa aumentar a colaboração entre os profissionais que trabalham como anunciantes para facilitar suas atividades.

De acordo com o comunicado oficial, a alteração é resultado de pedidos recebidos pela empresa e a percepção de que o uso de um único ambiente para desenvolver todo o processo de criação e análise de campanhas é mais eficiente.

Nesse sentido, a plataforma une as funcionalidades dos dois serviços integrados e, assim, permite que façam o planejamento, compra, medição e otimização do uso de mídias digitais.

A plataforma ganha também uma nova funcionalidade: o Vídeo & Display 360. Resultado da união de recursos do Campaign Manager, DoubleClick Bid Manager, do Audience Center e do Studio, esse ambiente permite a criação de campanhas end-to-end (ponta-a-ponta) e facilita a colaboração entre equipes de criação e agências de mídia.

Criação do Google Ad Manager

Por fim, o Google Ad Manager também foi introduzido ao mercado. Essa plataforma é resultado da união do DoubleClick for Publishers e o DoubleClick Ad Exchange, criado com o objetivo de acompanhar as mudanças no mercado e na forma que os editores monetizam seu conteúdo.

Cada vez mais os usuários online acessam conteúdo por diferentes telas e formatos, enquanto os anunciantes exigem maior acesso programático à suas campanhas. Por esses motivos, a nova plataforma oferece um ambiente mais fácil de gestão, unificado e programático.

Todas essas mudanças têm como objetivo melhorar a experiência e facilitar o trabalho de parceiros, clientes e usuários dos sistemas Google. Além disso, as novas plataformas oferecem mais funcionalidades que permitem a otimização do uso de todos os formatos e da empresa — sejam conteúdos escritos, vídeos ou interações digitais.

Agora que você já conhece o Google Ads e as demais novidades lançadas pela Google, confira como fazer um planejamento de mídia eficiente para o seu negócio!

Iêgo Lima
Iêgo Lima
Gestor de Mídia e Performance na MODO/7.